Você conhece o sentido que tomam as ondas quando elas trazem a força do mar na praia? Um vai e volta permanente entre todas as costas que bordam a água. Nossas línguas são que nem o estrondo da onda que se quebra na areia pra contar sua potencia: varias frequências se juntam para falar de um mesmo movimento. Traduzir esses sons equivale a ler as marcas úmidas deixadas na praia.


A gente lê e escuta histórias que nos atravessam, percorrem nossos corpos, até os lábios e os dedos para se derramar em palavras e imagens. Experiências de mulheres que fizeram grandes viagens, pessoas trans que atravessaram o prisma do gênero, humanos em luta desde seus cotidianos interligados.


Somos cozinheires, artesãs, bruxes, faz-tudo, falamos kurdo, turco, português, francês e
espanhol. Nos encontramos buscando formas de conhecimento e de trocas além das formas escritas estritamente racionalistas. Queremos continuar nossas pesquisas e divulgarelas aqui.


Buscamos nas artes e nas práticas ferramentas de cura e de relações. Podes vir, entrar em
contato com nós, compartilhar suas ideias e perguntas. Até logo nessa ou em outra costa.

Entrar em contato

Valeu pela participação!